A resposta da Wine Spectator

Thomas Matthews, editor executivo da revista Wine Spectator, que deu um prêmio a um restaurante que não existia (veja no post mais abaixo), divulgou dias atrás um comunicado, no forum online da revista sobre o assunto.

Diz ele que todos estão sujeitos a erros, e que o plano do autor Robin Goldstein foi urdido com maestria -- por exemplo, ele chegou a fazer posts em sites de gastronomia com comentários a respeito do inexistente restaurante, além de deixar uma secretária eletrônica (com uma mensagem de fechado temporariamente para reforma) no telefone que constava do site do restaurante fictício. Veja aqui, em inglês, a versão da revista.

A Wine Spectator anuncia que premiou mais de quatro mil restaurantes este ano. Mesmo não contando aqueles que se inscreveram e não ganharam prêmios (segundo a revista há vários), o total de premiados já significa uma arrecadação, em inscrições, de mais de um milhão de dólares. É de se supor -- e os leitores têm direito de exigir -- que com este faturamento milionário para o prêmio, houvesse mais rigor na verificação. Afinal, já vi restaurantes que, mesmo existindo, e mesmo tendo uma bela carta de vinhos impressa, na realidade não tinham em sua adega nem um terço dos vinhos anunciados na carta premiada.